domingo, 24 de maio de 2015

Pimentas Brasileiras como Usar -

Infelizmente apesar de ainda com certeza , se ter variedades super raras, exclusivamente brasileiras, exemplares não domesticados, desconhecidos ate.. nada se faz neste Pais , para se desenvolver ou aprimorar exemplares.. Um banho levamos de outros países em termos de conhecimento e desenvolvimento das ardidas.. Infelizmente nem de longe vislumbramos dentre as pimentas mais saborosas e ou fortes, fortíssimas , etc... no mundo ! Porem o que depender dos apaixonados e aficionados chile heads brasileiros o mundo ardido esta sempre em constante movimento..
Bom ai vai uma dica para as nossas Brasileiríssimas,,


 Pimentas brasileiras: como usar

  • Dedo-de-moça – picância média, pouco aroma
  • molhos à base de carnes
  • vinha d’alhos para assados e marinadas
  • tempero de carnes
  • molho para uso diário
  • sobremesas, queijos e massas 
    • Pimentas de cheiro (bode, pitanga e caqui) – aromáticas e picantes
    • frango ensopado
    • galinhada (indispensável a bode)
    • pratos com pequi
    • legumes refogados
    • risottos
    • moquecas
    • pratos com camarão seco
    • pratos da cozinha baiana
    • peixes ensopados
      • Fidalga, cheirosa-do-Pará, cumari-do-Pará e murupi – aromáticas e de média/alta picância
      • marinadas de legumes
      • escabeche de peixe
      • peixes crus
      • peixadas e caldeiradas com peixes de água doce
      • molhos frios para peixes e frutos-do-mar
      • combinadas com tucupi
        • Malagueta, cumari e cumari verdadeira – muita picância e pouco aroma
        • feijoada (malagueta é indispensável)
        • para comer junto com arroz e feijão
        • bolinhos e pastéis
        • caldinho de mocotó
        • cuscuz paulista
        • pratos com carne seca
        • pratos com carne de porco
        • acarajé
        • cozidos
        • barreados
          • Pimenta biquinho
          • curtida pura como petisco
          • saladas
          • sopas
          • espetinhos
          • Pimentas doces (cambuci, americana, cheirosa do Pará) – sem picância
          • picles
          • podem se recheadas
          • grelhadas ou assadas
          • combinadas com queijos
        • dicas de Mara Sallee e Zé Lima

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

  

MOLHO CAROLINA REAPER - HP22B 
EM 50 ML 

PEÇA PELO EMAIL !!

Em busca da Pimenta Perfeita ... A MAIS FORTE DO MUNDO - THE RIPER !! A VENDA EM MOLHOS AQUI !!


" POR ACIDENTE
Até o início dos anos 1990, apenas duas pimentas, a habanero e a scotch bonnet, tinham ultrapassado a marca das 350 mil unidades Scoville. Foi quando o cientista Paul Bosland, conhecido como “Homem Pimenta”, leu que o exército da Índia pretendia construir granadas usando uma pimenta local, a bhutjolokia. Após testar as primeiras sementes, Bosland descobriu, aturdido, que a espécie tinha 1,041 milhão de unidades. Aqui vale um parêntese: cultivada originalmente em regiões quentes da Índia, ela foi a pimenta mais ardida do mundo entre 2007 e 2010. É chamada de bhut jolokia (veneno, no idioma local) e pode ser vista como a progenitora das variedades super fortes que vieram depois. Durante o festival de Hornbill, no sudeste indiano, acontece uma competição para ver quem come mais desse tipo de pimenta. Os mais corajosos se arriscam numa disputa pior: esfregá-la nos olhos. Loucuras à parte, o nível de unidades Scoville vem crescendo nos últimos quatro anos. Entre 2010 e 2011, o recorde mundial foi quebrado três vezes. A primeira a conseguir foi a Infinity Chili (1,067 milhão de unidades). Depois vieram a Naga Viper (1,382 milhão de unidades) e a Trinidad Scorpion (entre 1,5 milhão e 2 milhões de unidades), ultrapassada neste ano pela Carolina Reaper."
Revista Galileu . O Globo. 2014